quinta-feira, 3 de maio de 2012

Partindo d'antes para o que viria.

As orbitas afunilam
sanariam as cascas com água salgada.
Carne fresca
sangra sua podridão

Trocaram a rota
Outros casos

dor que arde
incessante
pôs o corte....

Enquanto as moscas cobriam todo o rosto,
e o pranto coberto
pelo sequenciar da rotina.

As moscas viriam ao meu peito.

Nós mesmos medimos o tombar
do tempo.

Inquieta com a cena
jogou o que tinha nas mão
na direção das mocas.
aquelas que descobriram-me
enquanto rodeavam a ti.

Antes que eu pudesse desviar
percebi as marcas queimando
com a vermelhidão.

Eram episódios
arquivados em cenas, entre cortes.
ora sob a luz
outras frente ao subúrbio

afunilam
Para que enquanto as moscas proliferem
ajudamo-nos a conta-las
ou sofremos
ou só cortamos
o que via.

Nenhum comentário:

Postar um comentário