segunda-feira, 28 de maio de 2012

Palhaço

Ao ponto que houve desencontro
ao tentar um tanto
em quanto ha de semear o todo.


o enlace deixou-o alguns passos para traz do palco.

No entanto os palhaços reproduzem luz,
Antes a absorvem
Solvem
Admitem a falta de posse
O todo incluso
ao fragmento
Ao ínfimo

Mas há desordem
quando se pensa em sorte,
Por acaso o sol sempre reaparece.

Refez-se aproveitando o céu aberto
para sapatear e dar colheradas de nuvens.

O amargo
Era o sabor
os olhos
eram o semblante
E com tanto
Altos
Campos
Encantava-o:
Saber sorrir como quem deveras sente a dor.









3 comentários:

  1. Para muitos o palhaço sempre é gargalhada , alegria. Ensaios , improvisos e quantos risos?

    Este artista circense faz rir com suas vestimentas , brincadeiras , piadas , mas , será que ele também consegue rir? realmente rir? Ele está feliz?

    "Saber sorrir como quem deveras sente a dor".

    Lembrei de um filme chamado: O Palhaço.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. E aí Rodrigo, beleza?

    Muito belo este texto, gostei muito, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eae Jeff Beleza sim e você como está?
      Valeu mesmo. Tenho gostados dos seus textos tbm.

      Excluir