quarta-feira, 26 de junho de 2013

Sobrou da morte





a panfletagem...

Anunciavam

folhas secas

que estavam acima das árvores


quem olhava de baixo

ria com as folhas que levitam


de cima

largavam-se para o encontro

do rio que fazia a margem

dos olhos

ouvia-se o lacrimejar.


Chula.



Poesia Barata.


Por todo canto
poesia para os ratos

versos
enjaulados.
Viceras
estúpidamente
humanas.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Eterna fragrância



Não pensamos que só ouviríamos o silêncio.

Você

Logo optou por uma música
cantarolou voluptuosa
sorria
com gestos pedia carinhos.

assim que o rodar
fez-se com rapidez
e nos deixou a caminho,
a lua que dava dimensão do dia clarear,O mar
e o amar a imensidão,

Abraços e pedidos.

A distância
deixou-nos irreais.
surpreendia-nos
com qualquer imagem crúa:

Guardava Risadas,
Agora Silenciosa.

Somos o som. Sobre os caminhos.
Do silêncio. Das lembranças.