terça-feira, 19 de novembro de 2013

Aleatório sopro d'alma

sonhos são reais
a corda em praças
ultrapassa nossa aglutinação
invade os tons dos mares

a poesia
é num riso
ou lamento
vem do corpo
ou vento
ou do acaso

Precisamos uns dos outros
esse labirinto que inventamos com a razão
vai matar nosso instinto
sejamos uma queda de cachoeira

sonhadores
que invadem o chão
perfurando,
Desalinhando
os padrões,
flutuando o espirito
e se ao vomitar
cairmos nos padrões é porque foi sem querer

Sonhos são reais
as mentes elevam o indivíduo
a ordem definiu, definhou o progresso

Sonhadores elevam-se no sopro
dores elevam-se ao fim de risos permitidos
o aleatório é a fuga da permissão em um sonho proibido

e se cairmos nos padrões é porque estamos contaminados, faz parte do processo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário