quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Tom Estomacal

O som era

sumira
com
a ...


O som era

Assumira

a ...

Do som

Era ira

do Desafio

A Lucidez alucinou-se e culpou
o estômago
do Crânio


Os copos subiam antes de cair

Os gritos
por qualquer som
que invadisse

O ar desavisou,
desaviar ao ar
plenitude
desprovida
do sólido...

Aos Fluídos...

Sejamos o Invisivel

       ' Ouço      a iminência de um corpo estático '

O visível do impreciso

Era necessidade de cantar

As cadeiras
caem quando o vocalista despede-se do show
o público compreende que era bis,
perplexos, Reverenciam aos ruídos da aparelhagem em pane. 


As silabas Soltas cantam

Ouço-as

Versam... por vezes

Propaga, ao declinio assumido
ao inclinio investido

Qualquer quando a maré cobrir as pedras

Nenhum comentário:

Postar um comentário