sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Pós suícidio


escolher a vida?
eu prefiro ser um monte de nada.
escolheria a morte ao invés da precisão,
apesar das limitações psíquica
comunico com o além de mim.

por via das
curvas com estatelados olhos...
era susto
mas o tempo disse medo.

Era estalar o tempo
fundia ao espaço do vento
a noite
cobria o céu com o breu

a tarde era o vestígio do sol...

somente fui... sem ter certeza.
então não fui?

Fora o que vim a ser?

o que seria, vim a ser!?

Não perguntes.

Não questione.

respire

e não inspire.

O sufoco confundi a morte..
que não existe
pois existe o sufocar

esqueça o ar.

Ser a morte. Por mero descuido é imperioso.
bem-dito acidente.

Um comentário: