sábado, 10 de setembro de 2011

Invente, emende, em mente.

Perduro o egoísmo

Sem ismo,

Entre mãos,

Aperto com esperança

Da religião

Fugenciar as mentes sem

Grades;

Da filosofia

Personifico o monstro

Dentro d’entes querido

Sacrifico o sacrilégio.


Empasse, caminho.

Meu anterior, de mente.

Minto metade.

Deboche.


Só pode ser dor

d’entes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário