terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Entre Tons

Silenciamos, a peça era um desconforto do espavento
A supressão. O súbito de perceber o vazio.
Folhas revoando sobre outras que caem secas.
Fossem momentâneas, Até equilibrar-se em troncos empalhados

Fossem esvoaçando as ideias.

Passamos por horas, sentado e admirando esta tela
Que chamara-me amorosamente,
Depois de descobri-la no canto da sala.

Entreolhamos, outra vez estranhamo-nos
Convidei-a à ver um dos meus quadros
os olhos indagaram, outra vez,
ficamos quieto, sem tantos movimentos, por ora rindo, por ora sério.

Esmiuçando a distância entro o espaço e as cores.

...

2 comentários: