sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Crueza da simplicidade

Ao som de Ray Charles
A criança olhava, aguçada à sua volta
como se entendendo
a crueza do tempo

Ao instante que lhe era belo.

Não era tão admirado, quanto ver os pulos,
que a dança, trouxe ao remexer da criatura.
Chamou com o sorriso
a contra invenção,
o importuno
belo.

Tão risonha, e preparada.
vulnerável como minha própria palma.

a vileza dos assuntos
sem fundo
era nosso carpete, tão bem cuidado.

aaaaaah se foram todos os caprichos,
eram sorrisos e gargalhadas...

contive alegria, e propus outros discos.
Pulamos, com todas as fileiras,
...






3 comentários:

  1. Se o carpete é a vileza dos assuntos, o que se varre para debaixo dele?rs

    Estamos sempre trocando de disco, álbum, acordes

    ResponderExcluir