quarta-feira, 24 de julho de 2013

Transcender o som das máquinas.

O brilho da manhã,
o ar gelado
umedece o pulmão
que dantes cessava palavras..

dos mares, do vento sobre areia
o som singelo e calmo
deixa obliquo, quase em esquecimento
a amargura da ansiedade...

o voo do pássaro encanta
Com o canto e seu rasante
dobrando o ar, surge então a beleza
meus músculos rígidos congelados e gelados, descongelam a cada respiração...


E por um descuido
com os olhos sobre a areia
com um ultimo voo
suas cores misturam-se ao sangue que jorra
dos ouvidos e olhos
perfura meu peito
e dança.


Ouço:

Contemplas? E o que fará?



Em todas as resposta, imagino-me como o pássaro... agora este que pude ver
suas cores traçar o véu cinza do céu

escolheu a mim

e

lança vontades sobre meu peito :

Transcender o som das máquinas.

...
...
Ir além do ordinário.
...
...

Um comentário:

  1. Eai mestre!! Belas pinceladas nessa poesia...

    As garras dos pássaros infectadas de cura

    ResponderExcluir