sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Beira mar

Meu sol do meio dia,
Inclinou a sombra aos astros
recuperando o ar do vácuo no espaço,
revelando ao resto do dia o otimismo
a criança quando viu o mar correu até as ondas para abraça-las
enquanto quebrava e afogava, sentiu-se brincando
sufocava enquanto vivo...
o sol iluminou o que sobrou dos dias, e o mar cumpria sua profecia:
amávamos quase que de mal gosto
era o sal que convida a rancescer a alma frustrada.

2 comentários:

  1. como é fácil entender minha admiração e respeito, facinho te amar! demonstrar o tranquilo de forma tão cutucada, provocativa é para poucos, obrigada... adorei

    ResponderExcluir
  2. Muito bom !!

    Enfim a praia te inspirou. Escreveu essa na areia(?), pois me senti nela vendo essa cena...

    ResponderExcluir