quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Os astros são resquicios de alma.

à repetição

a Surpresa,

indefinição... são

às voltas, os clichês

fincam a realidade

Aos elementos.


O Ar és Surreal, inimaginável

o Fogo é a imagem do estômago

A água por entre a terra, e o som das estrelas, interligam os resquício de alma.

Certas horas os olhos definham o tempo

somam as sombras

Ao incerto, certos minutos, os segundos dobram a eternidade.


Misture os tons, os sabores e saberes

 E quando não souber


   invente o mar.



o que é o som...

      do que é a cor




Os sabores...

    És multi, Transmutável.







Um comentário: